Review Powerless (S01E01) – Wayne or Lose

Depois de muitos problemas, finalmente Powerless teve sua estreia no dia 02/02/2017 no canal NBC. Mas calma, já temos uma data de estreia no Brasil, será transmitida no Warner Channel aos domingos a partir de dia 12/03/2017 às 23h.

Como o nome do primeiro episódio já diz entre linhas, Wayne or Lose (Ganh(y)e ou Perca). A série não tem medo de falar os nome de grandes heróis, vilões e figurões da DC como Batman, Superman, Coringa e até Lex Luthor.

Nem tudo foram flores em Powerless, o criador/escritor/produtor Ben Queen abandonou a produção por ter conflitos com a Warner por conta de criatividade e abordagem da série. Essa situação causou atraso nas gravações e mudança brusca em pontos chave da série. À principio nenhum herói famosos seria mostrado ou abordado e a personagem principal Emily Locke (Vanessa Hudgens) trabalharia na RetCon Seguros, empresa que cuidaria das indenizações por destruições causadas pelo heróis e vilões, porém, as coisas mudaram muito! Ao ler nosso Review, você vai perceber o que foi alterado e aparentemente ficou mais interessante.

Assista ao primeiro trailer de Powerless, antes da mudança:

Eastereggs do Trailer de Powerless


Emily Locke estava cansada de trabalhar e não ser reconhecida na empresa RetCon e recebe um conselho do seu pai, que é interpretado pelo Marc McClure, o ator que interpretou Jimmy Olsen dos Filmes Clássicos do Superman. No conselho ele diz que ela não precisa de super poderes para mudar a vidas das pessoas para melhor.

Especula-se que o pai de Emily seja Oliver Queen, pois o Arqueiro Verde trabalhou em uma floricultura, assim como este personagem.

Pai da Emily Locke da Serie Powerless

Pai da Emily Locke da Serie Powerless

Em Charm City, cidade criada no Universo DC exclusivamente para a série, Emily está feliz com seu primeiro dia de trabalho na Wayne Enterprises, mais especificamente na Wayne Security.

A empresa é liderada por Vanderveer “Van” Wayne, um primo distaaaaaante do bilionário Bruce Wayne. Van tem um grande desejo, que é ir para a sede principal que fica localizada em Gotham City. Mas para isso acontecer, muitas coisas precisam ser resolvidas.

Inicialmente o ator Alan Tudyk seria Del Heller, o CEO do RetCon. Mas vivendo Van, o ator protagoniza muitos momentos de vergonha alheia e situações hilárias!! Van Wayne existe nas HQs, sua primeira aparição foi em Batman #148, lançada em 1962.

Vanderveer "Van" Wayne da Serie Powerless

Vanderveer “Van” Wayne da Serie Powerless

Em seu primeiro dia, Emily conhece sua equipe de trabalho que é composta por 4 pessoas. Começando com Teddy (Danny Pudi) o designer de todos os produtos da Wayner Security, Jackie (Christina Kirk) a secretária de Van que é fã de Super-heróis, Ron (Ron Funches) o chefe a engenharia e Wendy a chefe de software (Don’t touch it!).

Aqui poderemos ver apresentação dos personagens principais de forma muito divertida e conhecemos o tamanho da importância de cada um e também suas particularidades.

Nesse momento, a serie tem uma pegada meio The Big Bang Theory. Eu diria que ela será uma mescla de The Office e The Big Bang Theory.

Personagens apresentados, hora de saber o que a série irá abordar.

Não tendo medo de falar do seu Universo, a primeira “piada” da série é com um jornal mostrando Lex Luthor como presidente recém eleito com o slogan: “Criar uma Metropolis Super Novamente”, clara zoação com Trump e seu slogan. Ao longo do episódio existem brincadeiras com Superman e uma janela com vidro de Kriptonita e até um antídoto para o Gás do Riso do Coringa! Sem contar que a Voz do Bruce Wayne é de Adam West, o Batman da Serie dos anos 60. Vilões clássico também aparecem.

Bruce Wayne entra em contato com Van Wayne para dar más noticias, a Wayne Security será fechada e Van precisa demitir todos os funcionários. Ao dar a noticia para seu pessoal, Emily tem a missão de não deixar a demissão em massa acontecer! Ela precisa de uma grande ideia para que Bruce Wayne desista de fechar sua subsidiaria.

Na série existem batalhas entre Super-heróis e vilões, porém, são apenas o background da história. A luta deste episódio será entre a Raposa Escarlate e o Jack O’Lantern um vilão de 8º linha.

Raposa Escarlate (Crimson Fox) aparece na Serie Powerless

Raposa Escarlate (Crimson Fox) aparece na Série Powerless

Apesar de não ter poderes, Emily e sua equipe tentarão derrotar Jack O’Lantern… de forma indireta!!

Já é sabido que a série é um Sitcom, então temos apenas 22 minutos de episódio com piadas rápidas, construções de piadas visuais. Contendo muuuuitos easter eggs e referências que são usadas em momentos chave e engraçados, então, é necessário conhecer o Universo DC básico.

Powerless está localizada na Terra-P no multiverso das Séries da DC, seria muito foda ver Cisco interagindo com Ron, quem sabe um dia.

Enfim, a série é ótima! E já deixo avisado que não irá rolar de rir.

Powerless é uma série de comédia mais contida e que diverte muito, mesmo sem arrancar forte gargalhadas.


Alguns easter eggs e referencias:

 

 

318 Total Views
Fábio Franzoni

Fábio Franzoni

Cafézinho com sabor de justiça!

Você pode gostar...

  • Carolina Cruz

    Tá de parabéns pelo review! <3
    Acabei de finalizar o episódio e corri pra ler. Não sou profunda conhecedora do Universo da DC e mesmo engatinhando nas HQs da DC, adorei a brincadeira com o Nome do livro "Wayne or Lose".
    Gostei bastante do humor gostoso da série, acho que Powerless é do tipo que a gente "ri (honestamente) por dentro", sabe?
    Acho que será um bom meio de alívio cômico no atual cenário dos EUA com boas alfinetadas! hehehe
    Gostei de Powerless e pretendo acompanhar! ;*

    • Obrigado, @disqus_qepCTy0BHE:disqus!

      Vc foi direta ao ponto!
      “Eu ri por dentro!”

      Esse é o ponto que eu queria chegar.

  • Ainda não assisti o piloto e vou esperar terminar a temporada pra dar uma olhada -mas sem muito expectativas- agora o que eu quero falar é que MORRI DE RIR com o jornal “Luthor Vows To Make Metropolis Super Agains” hahahahahahah

    .. até sentir uma tristeza por lembrar que foi inspirada na realidade hihi

    • Fala ai @vihighi:disqus!!
      Tava sumido, rapaz, bom vê-lo de volta. 😀

      Cara, vale a pena parar para assistir a serie, acredito que tenha pouco episódios. Vou te falar que não foi a única piada baseada na realidade!
      O Van “Wayne” é um cara que podemos ver por ai…sabe aquele líderes de pais que dão vergonha de ver! Então…

      Grande abraço.

      • Olá Fábio estou de volta heheh
        Fiquei sem net esses meses, mas continuei ouvindo todos os #MinicastFlash(mesmo ainda estando no E07 da S03).

        Olha primeiro vou terminar essa temporada de #TheFlash, a 2ª de #SuperGirl que já tinha começado e ia dar uma olhada na 2ª de #LegendsOfTomorrow, aí depois..
        HAHAH

        • Ahhh! Pensei que tinha nos abandonado!!! hahahahaah
          Bom tê-lo de volta nos comentários, @vihighi:disqus.

          Faremos um especial de Legends, assim que acabar a temporada.

          Grande abraço.

  • Na primeira vez que vi, não curti. Mas resolvi dar uma segunda chance graças ao autor dessa resenha, rs. E até que valeu a pena. Algumas piadas realmente são boas neste piloto que, por sua vez, ajudou a vender bem a ideia da série. Espero que como fã da outra editora eu não me perca muito nas referências, apesar de conhecer alguma coisa ali ou aqui das HQs da DC.

    • Opa!!! Obrigado por seguir minha recomendação!

  • Bruno Castro

    Fala Fábio, muito foda o review, tinha várias coisas bem novas pra mim. Vi ontem o episódio e já corri pra ler aqui. Sobre a especulação que o pai da Emily ser o Oliver Queen, eu achei estranho pq ai ele seria velho demais com um batman ainda na ativa, mas quem sabe neh. Eu esperava mais da série msm sabendo dos problemas. Achei o episódio muito corrido. O que me motivou também a ver a série, tirando que é da DC, é pq tem o Danny Pudi, eu acho ele foda em community e sei que será ai tbm.

    Ah se n viu community, veja por favor. Tem um episódio que aborda o multiverso que acho foda.

    Parabéns e aguardo a review do próximo

    • Fala ai, @brunomonte:disqus!

      Cara, muito obrigado pelo comentário e os elogios! Sobre o community, nunca assisti! Vou procurar saber mais.
      Quanto ao EP, tbm achei corrido, mas acho que é por conta do pouco tempo. O EP 2 foi bem melhor e mais lento.

      Ahh o review está sendo produzido!!

      Abração.