Paste your Google Webmaster Tools verification code here

Review do Esquadrão Suicida (2016) [SEM SPOILER]

Seguindo o tom sombrio dos filmes da DC, mas desta vez, com uma boa dose de piadas e momentos hilários.

O diretor David Ayer, conseguiu uma grande façanha, na minha opinião, que é dirigir um filme de vilões sem tirar totalmente a vilania de cada membro da equipe. Quando este filme foi anunciado, eu torci a cara para ele, com o argumento de, que fazer filme com vilões não seria uma boa ideia. Desta vez, quebrei minha cara! E isso foi ótimo!

Seguindo o que foi apresentado nos trailers, o filme teve um início “musical”. Mostrando como alguns dos membros foram capturados. Teremos aparições especiais, nesse momento. Fiquem de olho! O início é um pouco lento, mas convence e te deixa curioso para saber o que virá.

A partir do segundo ato, a trama cresce, a velocidade aumenta e ação dobra. Este ato começa logo que o vilão é apresentado.

Vamos aos personagens.

Amarra, Crocodilo e o personagem do Scott Eastwood não tem muita importância para trama. Cada um tem seu momento, que é pequeno e pontual.

Apesar de, felizmente, não ser um filme do Will Smith, que é o maior astro da produção. Seu personagem, o Pistoleiro, tem a maior parte das falas e tempo de tela. O personagem é um gênio da geometria e muito importante para a trama principal, sendo um grande líder para a equipe.

Rick Flag é um personagem fraco e raso como um pires, mesmo tendo alguns minutos de desenvolvimento. Infelizmente ou não, sua fraqueza não conversa com sua apresentação. Mostrando um militar despreparado e que se torna um alvo fácil e vários momentos.

Capitão Bumerangue é meio que um Deadpool com um sotaque horroroso, mas ficou bem engraçado.

Katana não fala muito, mas é uma personagem com um background interessante. Eu espero que ela seja explorada nos futuros filmes da DC.

El Diablo é a maior surpresa! No princípio, eu estava com um pé atrás com o personagem e o ator. No final, fiquei feliz com o que foi mostrado e acredito que todos irão se surpreender.

Arlequina rouba o filme, apesar de ter menos tempo de tela que o Pistoleiro. A trama corre ao lado dela. Margot Robbie está sensacional, é a verdadeira Harley Quinn na tela do cinema. Talvez, se não fosse a presença dela, o filme não seria bom o suficiente.

O personagem mais interessante é a Amanda Waller, a idealizadora e verdadeira líder do Esquadrão. A premiada atriz Viola Davis, encarnou uma personagem forte e badass! Protagonizou apenas um momento desnecessário, na minha opinião. Ela comete algumas ações que foram “too much” para trama e acabou me desligando do pouco afeto que criei pela chefona.

Jared Leto tentou…seu Coringa é muito fraco. O ator fez um overacting, criando trejeitos e maneirismos que jamais imaginei ver. Não curti, ele é…digamos….”sexy modafucka“! Isso não combinou! Eu aceito mudanças nas características, trajes, gênero e etnia de qualquer personagem. Não mude a motivação e/ou raiz, isso é um grande erro! Muito material foi cortado, eu digo com certeza, que o Coringa dos trailers é melhor do que o da edição final do filme.

Para finalizar, os verdadeiros vilões do filme são interessantes e não muito fortes. Estão dentro do nível do Esquadrão, que agindo em equipe, consegue combate-los sem muito trabalho. Superman iria vaporiza-los em 2 segundos. Os eventos do filme são muito estratosféricos, com certeza iria chamar a atenção de outros heróis. Porém, ninguém dá as caras para ajudar o esquadrão.
Tudo acontece em um cidade fictícia, que não é muito citada no universo da DC. A única pista que posso dar é: “É um território do Gavião Negro e da Mulher Gavião“.

Diversão garantida que vale o ingresso! Se conseguir, assista em 2D. Não existe NENHUMA cena em 3D, apesar de tentarem forçar a barra.

Esquadrão Suicida de David Ayer é um filme competente e muito divertido.

Fábio Franzoni

Fábio Franzoni

Cafézinho com sabor de justiça!

Você pode gostar...

  • Acabei de assistir o filme e posso dizer que fiquei com aquela sensação de ter sido “traído” pelo que os trailers prometem. Achei que o filme sub-aproveitou muito os três personagens citados (Amarra, Crocodilo e Bumerangue) e perdeu grandes oportunidades de dar a eles momentos interessantes. Por outro lado, a Arlequina e o Pistoleiro realmente roubam a cena seja com seu carisma ou imprevisibilidade. Pena que é muito difícil brilhar num filme tão mediano como esse. Mediano, porém divertido e isso, por sua vez, não me deixa arrependido por completo.

    • Fala ai Marcus.
      Respondemos seu comentário no Cast que sairá no dia 01/09. Blz!?

      Desde já, agradeço seu comentário.
      Abração e sucesso.